Património Vitícola

A existência no nosso país de um número significativo de sinónimos utilizados para uma mesma casta, fruto de tradições culturais de expressão regional, justifica a adaptação de uma nomenclatura oficial, compatível com o Código Internacional de Nomenclatura Botânica, o Código Internacional de Nomenclatura de Plantas Cultivadas, o Código de Propriedade Industrial e, ainda, com o regime jurídico de protecção das denominações de origem e das indicações geográficas vitivinícolas.

Neste sentido foi elaborada a Lista das Castas Aptas à Produção de Vinho que constitui, simultaneamente, a base para actualização do Regulamento (CEE) nº 607/2009, da Comissão, de 14 de Julho, relativo à rotulagem de vinhos, em particular quanto aos nomes de castas que podem figurar na rotulagem dos produtos para DO e IG.

Nesta perspectiva cada casta é identificada por um nome principal e, quando justificável por tradições expressivas, por um sinónimo reconhecido, com uma utilização que se pretende equivalente.